quinta-feira, julho 05, 2007

Ela voltou.

Ela voltou.
Brigou comigo, reclamou que eu deixei o quintal mal lavado e que a casa está mal arrumada. Disse que eu pratico kung fu demais, que eu leio demais, que eu escrevo demais e que eu fico tempo demais no computador. [O que me faz pensar... se eu realmente faço tudo isso demais como ela fala, quantas horas tem meu dia?]
Reclamou do meu café, que a louça precisava ser lavada, que o fogão estava imundo, que minha cachorra estava fazendo bagunça demais.
Brigou porque meu quarto estava mal arrumado. Porque tinha muitos livros pelo chão, muita revista perto da televisão, muitas apostilas em cima da cama, muito jornal velho guardado.
Meus cd's espalhados pela estante, minha correspondência ragada, minhas dívidas a serem pagas. Minha coberta jogada no sofá, a luz da sala acesa sem ninguém, a televisão falando sozinha. A roupa espalhada pelos cantos da casa. Eu sem carta de motorista. Deu pra sacar para quem eu puxei?
Ela não morreu. Está se recuperando, mas está curada.
E no meio de tudo isso ela arrumou tempo para se preocupar comigo e me perguntar se eu tinha passado de semestre...

7 comentários:

The Immature Girl disse...

a boa e velha rotina, ai, ai...
mãe aquela pessoa que vai pensar em ti, em todas as situações limite, que que possam acontecer...
bjus e bom findi!

Anônimo disse...

Parece que consegui ver cada espaço da sua vida...
Tão detalhada a fala das mães, talvez isso as diferencie das outras mulheres.
Força, mas nem sei se é necessário dizer isso, parece-me que você tem bastante.
Beijos...
Alguém que lê Clarice e gosta da capa do livro do Deleuze.

Aline disse...

De fato, eu não sou boa pra comentar em momentos felizes... Mas fico feliz que sua mãe esteja bem.

Jessica disse...

ah...
q lindo ^^
mae é sempre igual, nao importa o q ta acontecendo com ela os filhos vem primeiro
q bom q ela esta se recuperando
bjs, bom fim de semana

Aline disse...

Bom, só pra constar, eu te adicionei (pelo menos eu acho) mas enfim, tenta me adicionar:
lioracic@hotmail.com

Beijos.

Paloma disse...

que bom que ela tá boa!
quanto a se preocupar, mãe é pra isso mesmo.
elas nunca param de se preocupar com os filhos.
pra elas somos sempre bebês.
beijo

Teresa disse...

Tive que ler os posts anteriores para poder entender. Fiquei aliviada com a volta da sua mãe. Também passei um aperto com a minha. Agora tá tudo bem. Que bom.