quarta-feira, junho 20, 2007

Brasil, o velho Vapor do Lula-Bebum.

Somos amigos no bar, somos amigos em paz....
Dona Marta-dois-Maridos, mulher despudorada, brinca, e a alegria não tem fim.
"Relaxa e Goza!!!", é a ordem do dia!
Mas eu estou bêbado, e bêbado, todos sabem, não goza... [e agora José?]
Então, lançava-se a falar o velho Torneiro Lula-Bebum, pedindo uma hora a menos na semana e aquela boa garrafa de rum.
Passava o dia falando, mas nunca lhe deram atenção. Fazia piada da falta que o dedo lhe faz.
O Açougueiro Geraldo-Pinga-em-Mim, que trabalhava pouco demais, dizia com os olhos abertos: "sempre que brincar de médico, tenha uma licensa na mão." Mesmo que falsa, o cuidado nunca é em vão!
Já o Capitão Serra-Dente-Trincado, promete passar alguns anos no leme com prática além do comum. Alguns dias depois, entrega o leme para o Capataz, que decreta o fim da paz.
No meio da confusão, o cachorro do perneta Willie-Doido, Palloci-Hippie-Sujo, rouba minha cerveja, e ri da minha cara então.
Traga-me o marcador de gado, que eu mostro pra essa raça desgraçada, como faço pra botar jeito nessa porra de navio. E andem, já pra prancha, porque essa é só mais uma história que deixa o ódio sem esperança e que não acaba aqui.

2 comentários:

Kelly disse...

nossa... impressionantes as suas palavras de auto-definição o_O

Maria disse...

hum hum :))quero um tekilla sunrise.beijocas