sexta-feira, junho 29, 2007

Caridade de cú é rola.

Tudo o que me espera é meu reflexo. Quero ter algo pra ver no espelho. Algo que eu goste de ver.
Não quero compaixão. Não quero piedade. Não quero favor.
Aquele homem a quem você da comida, é também o homem que não possui mais a vontade. A vontade de ser algo melhor do que é.
A cada grão, a cada migalha morre alguém que poderia ter feito algo de descente nesta vida. A vontade de ser aquilo que ele poderia ter sido, vai morro abaixo a cada ato humanitário que recebe.
Por isso odeio Ongs. Pelo fato de que elas de fato só fazem aquilo que não deveriam fazer. Elas fazem aquilo que o estado deveria fazer. Aquilo que o cidadão deveria fazer. [Hobbes mais uma vez se faz presente...]
Ong é centro de caridade. E caridade é o mal supremo. Caridade é aquilo que atrofia a vontade do homem. Caridade é aquele que carrega quem não quer caminhar.
Quer ajudar? Empurra o cara penhasco abaixo. Se ele morrer, é sinal que não merecia viver.
Se ele viver, ele sairá ainda mais forte, e realmente pronto para viver.

2 comentários:

C_britto disse...

Raffa,

Ô maldade com as Ongs!

Não vamos generalizar menininho.

Tua amiga aqui, “colabora” em uma, e até hoje, não vi nada disso.
Bom como eu disse, ( até hoje!)(rs..)

Beijoo não some.

Pequena poetiza disse...

enfu
quanta revolta
num vejo por esse lado
enquanto o estado naum faz quantos vão ter q morrer até q ele decida fazer?

esse seu blog é bem intenso
vim pouquíssimas vezes aqui
já vi q fiz mal



ótimo fim de semana!



“Procurei o amor, que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!”

(Florbela Espanca)


Bjos da -=Þëqµëñä Þö놡zä=- !!!