terça-feira, março 11, 2008

Começou!

Guerra.
Sim, concordo com o imbecil do Mainardi quando ele diz que não somos um povo com experiência bélica, o que acredito ser um erro de administração pública. Deveríamos murar nossas fronteiras com paredes gigantescas e também com cercas elétricas para que cada cretino com muamba e droga que venha do Paraguai, da Bolívia ou de outro paiseco tosco desses, morra em agonia e dor, e vá importunar o capeta no inferno.
Começo então minha briga articular contra uma revista que nem ao menos é considerada parte da "grande mídia". Ela na verdade é considerada o salvo conduto, o norte do jornalismo entre os intelectualóides mediocres da usp & genéricos. A guerra é contra a revista Caros Amigos.
Cansei de toda aquela papagaiada emploada que se lê por lá. Fico enojado quando vejo alguém escrever "estadunidense" para declarar sua intolerância contra os Estados Unidos. Não aguento mais marxismo chimfrim de boteco. Fidel é um exemplo de presidente? Fidel ama seu país? Então porque ele tem o rabo cheio de dinheiro, viaja para os quatro cantos do mundo, e goza de milhares de benefícios que a população de Cuba não possui?
E para começar a disparar, escolho o Ferréz, colunista e professor do anti curso de jornalismo da revista [anti curso!!! Haja saco para aguentar tanta empáfia!]
Um sujeito que não ve a intencionalidade do autor [seja de livros, seja de filmes] nas obras que faz, e consegue ver preconceito em "Gigolô por acidente na Europa" é no mínimo paranóico.

Um comentário:

Sonolento! disse...

Manda seu currículo pra VEJA!

Eles estão contratando!