sexta-feira, agosto 10, 2007

Sobre a felicidade [ou: falando sobre as pessoas que são sinceras através de seu oposto]

Algumas línguas ferem-se. Prendem-se entre os dentes, e isto as torna miseráveis.
As palavras são desenhos cantados do pensamento. A voz o instrumento que serve de porta voz ao intelecto.
Morda sua língua, suprima então o pensamento, e terá sua dose de indigestão.
Terá idéias rodando entre a cabeça, pairando, pedindo para serem goraadas, para saírem.
Logo após, sentir-se-á cheio e cansado. Empanzinado.
Comeu demais, não evacuou. Começará o re-sentir.
É necessário... Cuidado então com as linguas presas. Cuidado então com as bocas que deixam apenas escapar o mel. Estas bocas, retém a sujeira, possuem cabeças cheias de veneno.
E esse veneno arrumará um jeito de sair.
Nascerá então a traição!

4 comentários:

Aline disse...

Ah...tava positivo demais, tinha que voltar o pessimismo...
Não acho que as pessoas que silenciam o mal o têm de fato escondido.
Há pessoas que falam só coisas boas e só pensam nas coisas boas, eu acredito nisso.
bjos

Blogue da Magui disse...

Ai, ai.Será? Língua presa é figura de retórica, né?

C_britto disse...

Meu Raffa,

Filosofando? que maravilha!!!


Eu sei que da tua boca só escapam palavras doce, (doce como o mel.)
E esse mel lava todo veneno e sujeira.

Isso porque. Aqui não há nomes trocados
nem dores imaginadas.

ahaa...(a)braço

JuH disse...

Huuuum... Será mesmo que o mel é assim tão maligno? ^^

Pessoas ruins, que só aparecem em nossas vida para nos ferir infelizmente existem... Importante é saber lidar com elas, sem nos ingualar a elas ^^

Dã, mas do que eu estou falando? Acho que a dor-de-cabeça afetou meu cérebro xD

Bjaum menino!!! =*