segunda-feira, agosto 06, 2007

O dia em que o brasil [com b minúsculo mesmo] devia ter parado.

"Gente, olha o que aconteceu e todo mundo viajando normalmente. São seres humanos que morreram." - Rosa 30 anos, mulher de Paulo Solano Batista, familiar de uma das vítimas da tragédia da TAM.
Seu marido fazia um protesto contra os vôos. Queria que os vôos parassem. Ela chorava.
Wittgenstein em seu livro Tractattus Lógicu-Philosophico:
O mundo é tudo o que é fato. Fatos são todas as relações possíves de objetos.
Você é um objeto no mundo. Um objeto que fala, pensa, e nomeia.
Então não venha me dizer que não dá pra parar, que temos compromisso e eles nos obrigam a por exemplo voar de um lado para outro.
O mundo é fato, que são descritos por objetos, inclusive nós. E nossa relação com outros objetos, somos nós quem decidimos.
Paramos quando decidimos. Fazemos o que bem queremos.
E se puderem ler esse post porco ouvindo "O dia que a Terra parou" do Raul Seixas, melhor.

2 comentários:

JuH disse...

Raul Seixas... Aprendi a curtir ele com meu namorado... Será que podemos mesmo parar? Temos realmente esse controle, ou a tecnologia e a nossa vida corrida fez com que nos perdessemos no universo? Vai saber... ^^

É, pessoas vão morrendo em acidentes, a camada de ozônio vai sendo destruída, e nós continuamos vivendo nossas vidas medíocres, reclamando sempre, reivindincando quase nunca... É, os seres humanos são podres "(

Bjaaaum, amo o q vc escreve!

Morcego disse...

Graaaande Raffa
Enquanto o povo aplaudir os incompetentes que fingem governar este país estamos fú! No ar, na terra e no mar...
Pensando bem e considerando tudo que tenho acompanhado, o Magri (lembra dele?) ficaria espantado em saber que, para essa corja, a cadela dele é muito mais "ser humano" do que nós! Por isso digo: PAU NELLES, SEMPRE!
Um dia super show, com bons ventos e ótimos vôs.
Um grande e fraterno abraço.