sexta-feira, setembro 28, 2007

Touch me I'm Sick!!!

Minha bílis está fervendo. Comendo meus rins, mesmo sem poder.
Assisti Tropa de Elite, o filme que todos já assistiram. O filme que conta a história de um oficial do BOPE.
E naquele filme, que admito, gostei de ter assistido, aparece o contraste que todos os dias vejo, todos os dias percebo, e por fim, que tanto odeio.
É a lupa que se joga sobre o cara que se entope de droga, e reclama da sociedade. Culpa o sistema, culpa o capitalismo, pelos problemas da sociais.
Fala que os Estados Unidos são imperialistas, e desgraçados, uma nação maldita. Falam que os norte americanos [sem a frescura ridícula de chamá-los de "estadosunidenses" por favor] são culpados e miseráveis por matar gente no Iraque e no Vietnã, mas esse mesmo moleque filho da puta, não olha o próprio rabo, e não percebe que ele é tão assassino quanto o Bush.
É ele quem dá dinheiro para o traficante. É esse traficante que compra armas para se "defender" da polícia. É esse traficante que mata gente dentro de bares para fazer acerto de contas. É esse traficante que mata quem reage aos seus assaltos. É esse traficante que faz crescer as fileiras do PCC, do CV. É ele que queima gente viva dentro de pneus. E faz isso com o dinheiro desse aluno miserável que se diz consciente, revolucionário. Desse aluno que tem de cor a história do Ernesto Guevara, e que sonha em ir visitar Cuba. Que faz apologia ao MST, a melhoria da educação, a qualidade de vida, ao enobrecimento do ser humano. Que acampa na Fundação Santo André visando melhorar o ensino. Esse moleque idiota e desgraçado que vê a história de modo positivista, que não entende o básico de inferência. Esse marxista de merda que sataniza o "sistema" e o "capitalismo" e não percebe que suas garras estão embebidas com o pior tipo de veneno.
A hipocrisia.
E isso me faz lembrar uma música do Mudhoney, uma das primeiras bandas grunges de Seattle:
"Me toque, eu sou doente."

7 comentários:

patricia disse...

eu vi tropa de elite, como boa carioca... e sei lá... não sei dizer se gostei sabe. ele mostra a realidade que ninguém quer ver, mas que todos sabemos que existe e onde existe. a verdade é que ninguem é inocente. a única diferença é que talvez alguns sejam mais culpados e no fim, eu não acredito na redenção de ninguém (legião 'eu não tenho pena de ninguém'). é um problema crônico e eu provavelmente conheço gente involvida, seja policial corrupto ou jovem idiota que fuma maconha. as pessoas não se preocupam com a origem da coisa, conivência, crime.
*aqui no rio não se fala em outra coisa, no festival de cinema da cidade esse filme foi o mais aplaudido e sabe o que surpreendeu aqueles com um mínimo de compaixão? a vibração a favor da tortura nos bandidos... vc vibrou?! vc gostou?! vc achou que eles mereciam isso?!
eu fiquei com nojo.
é, por mais que alguém realmente mereça não consigo tirar da cabeça que aquele que tortura também merece tudo na mesma moeda.

que bom que isso aqui está a todo o vapor, vou ver se apareço mais..
e o lay e descrição (aeee sorriso no rosto :D) estão legais.

beijos

Simone disse...

Também vi! Ou vi uma boa parte. Perco a paciência, num sabe? Em geral os filmes concentram nos gritos e repetição de cenas fortes o sentido de violência da cena. Esse recurso torna o filme muito barulhento. De resto gostei do filme. Comentei hoje. Boa semana!

Anônimo disse...

hummmm...

profundo muito profundo...

eu vi o filme ...e eh uma explosao de sucesso!!!

e qto ao seu comentario...
parece uma pessoinha falando!!!quem sera??

hahaha

=]]

*Luiz.! disse...

Rapaz, cuidado para não cuspir pra cima. A sétima arte é uma maravilha, mas não passa de um molde para as produções nacionais, ultimamente.
Ah! Você está muito reaça, não se esqueça que você é um metodista!
Logo logo sua cátedra estará no Beta, ao lado da do João, e dividirá a vaga no estacionamento com ele. Portanto cuidado com o que falas, que isso será usado contra você!
hehe!

O FILOSOFISTA disse...

E aí Rafael, aqui é o Beatnik... Não pude deixar de visitar seu blog e, depois desse post, não posso deixar de assistir ao filme. Mas mesmo sem ter assistido, já sei muito bem do que se trata e a forma com que aborda esse tema tão delicado. Mas vem cá... Você tá falando sério? Isso tudo que você escreveu é real ou você só quer arrumar confusão no blog? rsrsrs... Prefiro ver o filme primeiro, depois pode ter certeza que "ousarei" voltar pra gente discutir isso melhor. Abraço!

William Dubal disse...

Ui... Essa doeu!

A carapuça me serviu, confesso.

Anônimo disse...

Meu Deus, Raffa, vc é muito radical...e veja bem, não é uma defesa a estudantes que fumam e são hipócritas, muito pelo contrário...Mas já pensou que o buraco é muito mais embaixo?? O problema vai além disso, esta maneira é uma forma simplista de ver as coisas. O problema que envolve nosso país vai além de fumantes de maconha que patrocinam o tráfico..tem várias perguntas a serem feitas: porque eles traficam? O que leva crianças a traficarem?? E não vem me dizer que é porque alguém compra, porque mesmo que ninguém comprasse, a merda aconteceria... Outra coisa, defender um filme como "Tropa de Elite" é muita piração, aquele tipo de tortura é idiota e não dá pra achar que o que eles passam no filme é correto, o BOPE foi criado pra fazer mais merda do que os proprios traficantes e eles são tão corruptos como qualquer outro tipo de polícia que existe...então, meu caro amigo, seu argumento além de preconceituoso e radical, é invalido

Aliás, é a Mari...